Edição nº 781 de 13 de Dezembro de 2017

100 Anos – História do Museu Nacional Grão Vasco numa 'história aos quadradinhos'*


2017-06-07

Por: Paula Cristina Cardoso – Diretora do Museu Nacional Grão Vasco

É em 1916 e com Francisco de Almeida Moreira, um viseense amante da arte, que nasce o Museu Grão Vasco, cujo objetivo era o de “preservar e valorizar o património histórico, artístico e arqueológico da região de Viseu”, em especial as pinturas do grande mestre Vasco Fernandes – o Grão Vasco –, provenientes da catedral.

Ao longo de uma centena de anos foram-se sucedendo os diretores e o edifício foi sempre beneficiando de alterações, com o objetivo de renovar o espaço, torná-lo contemporâneo e apelativo ao público do seu tempo, cumprindo-se igualmente a função de divulgar o valioso património artístico que zelosamente albergava.

Volvidos cem anos, e no âmbito dos inúmeros e diversificados acontecimentos que contribuíram para um melhor conhecimento desta instituição museológica secular, entendemos que uma outra forma de celebrar esta data seria a edição da história do Museu Nacional Grão Vasco em Banda Desenhada. Acompanhando a contemporaneidade, quisemos assim estabelecer pontes com o presente, abrindo portas para o futuro.

Com a edição deste álbum, podemos agora usufruir da centenária história do Museu Nacional Grão Vasco de uma maneira descontraída, mas com informação rigorosa e de fácil interpretação. Ao longo das páginas deste álbum são-nos apresentados diferentes momentos históricos do museu, desde a sua fundação até aos dias de hoje, as suas principais obras de arte e seus autores, o processo de constituição do museu, a cidade de Viseu de outros tempos e a ação dos diferentes diretores. Estes episódios foram enriquecidos com um desenho único e cativante da autoria de João Amaral, tornando esta obra de leitura inevitável para todos os que se interessam por arte, pelo Museu Nacional Grão Vasco e por Viseu, ou então para os que simplesmente gostam de “histórias aos quadradinhos”.

Com esta publicação, queremos continuar a honrar a história desta instituição secular, situada numa cidade milenar e procurar outros caminhos na divulgação da sua riqueza patrimonial e artística.

Maio 2017

(*) – Texto de abertura publicado no livro de João Amaral “Museu Nacional Grão Vasco 1916-2016 | Em busca da arte perdida”, editado pelas Edições Esgotadas e lançado no Museu Nacional Grão Vasco no dia 4 de junho de 2017.


Partilhe:

© 2017 Dão e Demo - Todos os direitos reservados