Edição nº 729 de 22 de Outubro de 2017

Hélder Amaral questiona Governo sobre tempos de espera para consulta no Hospital de S. Teotónio


2017-07-21

O deputado do CDS-PP Hélder Amaral questionou o Governo sobre os tempos de espera para consulta no Hospital de São Teotónio, em Viseu.

Numa pergunta enviada ao Ministro da Saúde, e também assinada pelas deputadas Isabel Galriça Neto, Patrícia Fonseca e Ana Rita Bessa, da Comissão de Saúde, Hélder Amaral quer saber se a tutela confirma que estão a ser largamente ultrapassados os tempos de espera recomendados para consulta no Hospital de São Teotónio, em Viseu.

O deputado eleito por Viseu, quer também saber quais são, detalhadamente, os tempos de espera registados atualmente para consulta neste Hospital e em que especialidades, quantos médicos exercem neste Hospital, em cada uma dessas especialidades, quantas vagas para essas especialidades a tutela mandou já criar, e quantas foram preenchidas e quantas ficaram por preencher, e em que especialidades.

Hélder Amaral questiona ainda que medidas pretende o Ministro da Saúde tomar, de imediato, para acautelar e garantir a prestação de cuidados de saúde atempada neste Hospital que, aparentemente, está ameaçada, e se com os tempos de espera para consulta que se registam no Hospital de São Teotónio, está, de algum modo, em causa a prestação de cuidados de saúde hospitalares atempada e de qualidade.

O Grupo Parlamentar do CDS-PP tem tido conhecimento que estão a ser ultrapassados os tempos de espera para consulta no Hospital de São Teotónio, em Viseu.

Os tempos de espera excessivos registar-se-ão em diversas especialidades e, na pesquisa que efetuámos no portal da saúde, pudemos constatar que, efetivamente, são mais acentuados nas especialidades de Dermato-Venerologia, Neurologia, Urologia, Oftalmologia, Ortopedia, Otorrinoralingologia, Reumatologia e Ginecologia – Apoio à Fertilidade.

O Grupo Parlamentar do CDS-PP já questionou, por diversas vezes, o Ministro da Saúde relativamente aos tempos de espera excessivos que se têm vindo a registar no SNS.

Temos consciência que os tempos de espera excessivos que se registam devem-se, em parte, à falta de médicos em determinadas especialidades e que, apesar da abertura de concursos para a contratação de mais médicos, há zonas do país - nomeadamente no interior - em que, apesar dos incentivos criados, as vagas continuam a ficar por preencher.

No entanto, entendemos que têm de ser tomadas mais medidas para a fixação de médicos em todos os hospitais do SNS. Os portugueses não podem continuar anos à espera de uma consulta no hospital da sua área de residência.

Neste sentido, entendemos ser da maior pertinência obter um esclarecimento por parte do Ministro da Saúde.


Partilhe:

© 2017 Dão e Demo - Todos os direitos reservados