Edição nº 762 de 24 de Novembro de 2017

António Gonçalves lançou livro sobre Vila Longa e prestou homenagem a Vítor Pinto, ex-presidente da Junta


2017-08-07

Teve lugar neste domingo, dia 6 de agosto, na Casa da Cultura de Sátão, a apresentação do livro “Vila Longa noutros tempos” da autoria de António Campos Gonçalves, um autodidata de 87 anos que, em verso, fala de si e da sua terra, da sua Vila Longa, ao longo dos tempos e, igualmente, fala dos homens que a moldaram, sobretudo dos autarcas que rasgaram novos horizontes para os seus habitantes, sejam caminhos, estradas, tanques e tantas outras infraestruturas e equipamentos.

Este livro é uma edição que traz à estampa tantos e tantos recortes de gentes e de espaços a quem o autor quis prestar homenagem e, ao fazê-lo, deixar para o futuro uma memória viva da evolução de uma freguesia que o foi durante tantas e tantas décadas. Para além disso este livro acaba por ser um manancial de usos e de costumes, de etnografias, sobre a identidade cultural do seu povo. Afinal, António Gonçalves revela-se aqui também, de uma forma simples, mas tão forte e substantiva, um verdadeiro historiador e etnólogo.

E foi neste contexto, da apresentação desta sua obra, que o autor quis personificar em Vítor Pedro Pinto, o último presidente da Junta de Freguesia de Vila Longa, até 2013, antes da perda da autonomia administrativa, uma sentida homenagem ao ler um longo e minucioso poema sobre a obra que o autarca efetuou em prol de Vila Longa.

Refira-se, aliás, que as primeiras palavras desta sessão estiveram por conta de Vítor Pinto, ele que aproveitou na sua intervenção para enaltecer de uma forma muito genuína “o homem e o cidadão sempre disponível para as pessoas da freguesia e, bem assim, o dedicado membro da assembleia de freguesia de Vila Longa ao longo de tantos anos”. Vítor Pinto disse mesmo que “é de pessoas como esta que as terras precisam, pelo trabalho na defesa das terras e gentes e pelas memórias que deixam para o futuro”. O ex-autarca de Vila Longa deixou ainda um agradecimento especial a Marisa Melo, a verdadeira responsável pela obra pela ajuda que prestou ao autor na preparação dos textos para a sua edição.

Usaram ainda da palavra nesta sessão a vereadora da cultura, que fez a apresentação da obra e o presidente da câmara que se referiu à importância destas obras e ao apoio que a Câmara de Sátão deu para que o livro fosse editado.


Partilhe:

© 2017 Dão e Demo - Todos os direitos reservados